Transbordar-se

O inesperado, o difícil e o desconfortável fazem parte da nossa existência, e viver assim faz parte de estar no mundo! Desde o nascimento, a vida nos convida a virarmos do avesso, a sentirmos intensamente, ela nos estimula a tentar novos começos, a nos ultrapassarmos e nos largarmos no desconhecido.

Estando no mundo, como vivenciamos o Amor?

Nosso primeiro grande amor começa com nós mesmos, ao lidarmos com nossos traumas, quedas, aprendizados, êxtases, alegrias…

Amar é aceitar o outro como ele é, mas só consigo genuinamente fazer isso, se intimamente me aceito. Neste sentido, encorajo pacientes a se levarem para passear, ir ao cinema, jantar, caminhar, se namorarem diariamente. Ao iniciar este olhar profundo sobre si, uma aceitação clara e sutil passa a fazer parte de quem é, como é.

Quando gastamos algum tempo com nossa existência, passamos a dar novos significados para o que já conhecemos e também a descobrir novas facetas em nós mesmos, dando menos importância para os gostos dos outros, diminuindo a probabilidade de me anular por uma aprovação alheia.

Aceitando o convite da vida, de intensamente vivenciar os turbilhões, as dores, os amores e cores, nos permitimos estar no mundo através de uma vivência de auto-amor.

E nesta vivência de auto-amor, me transformo no inteiro que transbordará em contato com o outro, e não na metade que precisa ser preenchida.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s